Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

No Habitat de uma Introvertida

Aqui partilho com o mundo tudo o que me inspira e faz parte da minha vida criativa. E se és introvertido/a é provável que aqui te sintas em casa. "I have no special talents. I am only passionately curious." - Albert Einstein

No Habitat de uma Introvertida

Aqui partilho com o mundo tudo o que me inspira e faz parte da minha vida criativa. E se és introvertido/a é provável que aqui te sintas em casa. "I have no special talents. I am only passionately curious." - Albert Einstein

Seg | 17.09.18

"If you want to see the truth, you must be brave enough to look"...

Sandra Sequeira

look1.jpg

 

Setembro é um mês de recomeços.

 

E é uma boa oportunidade para também avaliarmos o que nos faz bem ter por perto. Especialmente pessoas!

 

Se percebessemos o quanto ESPECIAL é esta viagem aqui, neste planeta, não perderíamos tanto tempo a forçar nada, especialmente relações.

 

Embora os desafios nas relações sejam bons para nos conhecermos e "trabalharmos" para sermos melhores (Isn´t that the whole point of being here?...), há uma questão importante que nos devíamos fazer quando estas relações são mais tóxicas do que amorosas (isto quer seja numa relação amorosa, familiar ou de amizade):

 

Qual é o preço que eu tenho de pagar para estar nesta relação?

 

Porque há sempre um "preço" a pagar!

 

Se o preço for deixar de ter tanto tempo para mim próprio/a... é possível equilibrar.

 

Se o preço for fazer coisas que não aprecio tanto, mas faz essa pessoa feliz... é possível equilibrar.

 

Se o preço for aturar acessos pontuais de mau humor e irracionalidade... quem não os tem?...

 

Mas e se o preço for DEIXAR SER QUEM ÉS?...

 

Especialmente se te sentes bem contigo próprio/a e se o que fazes no teu dia a dia te faz feliz e sentes gratidão pelo que o Universo te dá...

 

É aí que, se calhar, é preciso olhar, sem julgamento, para os factos e avaliar se, na verdade, aquela é a "tua" pessoa (se vibra na mesma frequência vibracional que tu)... se faz parte da tua tribo ou não.

 

É preciso descomplicar as relações e vê-las exatamente pelo que elas são. 

 

Se não se alegra com as coisas boas que te acontecem, não é a tua pessoa.

 

Se não fica feliz por dentro, sabendo que és feliz, não é a tua pessoa.

 

Se não celebra as tuas conquistas, não é a tua pessoa.

 

Se não te incentiva a ir à luta pelos teus desejos, não é a tua pessoa.

 

Se não valoriza os teus talentos, não é a tua pessoa.

 

Se não evidencia as tuas qualidades pelas tuas costas, não é a tua pessoa.

 

Se não te diz na cara que se orgulha de ti, não é a tua pessoa.

 

Se não sente EMPATIA pelo teu SER... NÃO É A TUA PESSOA!!!

 

E isso nada tem de mal!

 

É provavelmente "a pessoa" de outras pessoas. E tudo bem!

 

Só tens de ver, sem julgamento... e aceitar... e seguir em frente com aquelas que SÃO as tuas pessoas.

 

As que erram estupidamente, mas pedem desculpa porque vêem e admitem o teu valor.

 

As que não têm plano paralelo para te apoiar.

 

As que te incentivam a seres cada vez mais daquilo que és.

 

As que acreditam que podes alcançar os teus sonhos.

 

As que te defendem e ficam incomodadas com o mal estar que possas sentir.

 

As que têm o carácter de te criticar diretamente na tua cara.

 

As que aceitam a tua mão para seguir pelo lado da LUZ e da GRATIDÃO.

 

As que te amam EXATAMENTE COMO TU ÉS!

 

Nós temos a tendência de não querer desagradar ninguém e de nos sentirmos mal se nos afastamos de alguém...

 

Mas se sentes que algo não está bem quando estás junto dessa pessoa...

 

Se a frequência de energia que recebes dessa pessoa é tão baixa que drena toda a tua própria energia... 

 

Se depois de estares com essa pessoa te sentes mais em baixo do que quando chegaste junto dela...

 

Se a energia da outra pessoa só te empurra para um lugar de culpa e de dor...

 

What´s the point?...

 

Não podemos obrigar ninguém a amar-nos, a querer-nos bem e a apoiar-nos.

 

Não podemos obrigar ninguém a sentir-se grato pelas nossas acções, pelo nosso esforço em satisfazê-lo ou não desagradá-lo...

 

E torna-se demasiado cansativo lidar com alguém como quem tem medo de "pisar em ovos" a toda a hora.

 

Se tens de te anular para a relação ser possível... Estás a trair-te a ti próprio/a.

 

E não há traição mais devastadora a longo prazo que esta!

 

Quem gosta, quem ama, ACEITA. Aceita a nossa sinceridade e alegra-se com a nossa felicidade. 

 

Quem não gosta, quem não ama, vê em cada palavra ou atitude o atirar de uma pedra. 

 

Somos responsáveis pelo que temos e damos de nós. Não somos responsáveis pela forma que a outra pessoa vê.

 

Então, mesmo que doa, temos de continuar o nosso caminho, com o apoio, o querer bem e o amor que as "nossas" pessoas nos dão.

 

Sem dramas, continuar no encontro com nós mesmos, reconhecendo pelo caminho quem segue na mesma direção e te motiva a avançar.

 

O caminho está aberto e tem dois sentidos.

 

Tu escolhes o sentido. Queres ir em frente, vai! E não obrigues ninguém a avançar contigo. 

 

Se apontas para a frente e dás a mão e te olham como se tivesses cometido a maior das ofensas, larga!

 

Deixa ficar. Mas não te obrigues a desistir de TI!

 

Tudo tem um limite e, nas relações, desistirmos de ser nós próprios, é um preço demasiado alto.

 

Aceita essa pessoa como ela é, mas não te anules. 

 

Se és apreciado/a apenas quando satisfazes as vontades dessa pessoa e lhe atendes as necessidades e não quando és tu próprio/a e alcanças coisas positivas na tua vida, então isso não é amor incondicional. It´s just not!

 

Podes continuar a desejar-lhe o melhor, respeitá-la, amá-la, e até manter o contato com ela e tê-la na tua vida, porque esta pessoa te é importante, mas se, para tua própria protecção, tiveres que te manter mais afastado/a, para seres TU a 100%, não te sintas culpado/a.

 

A tua obrigação é contigo próprio/a e pelas escolhas que fizeste na tua vida. 

 

E sê grato/a por essa pessoa. Porque, por mais difícil que seja essa relação, é esta que te desafia a descobrires mais sobre ti e sobre o mundo, além da tua zona de conforto...

 

But at the end of the day, se essa pessoa não está na mesma frequência vibracional que tu, os frutos dessa relação vão ser mais amargos que doces.

 

Então, sê corajoso/a e olha, sem julgamento de valor, mas com com objetividade, se essa é a "tua" pessoa.

 

If you want to see the truth, you must be brave enough to look. - Rune Lazuli

 

 

Imagem: Pinterest

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.